Acusado de desviar mais de R$ 200 mil da Câmara de Codó diz à Polícia que vereadores sabiam do desvio e conta que os parlamentares também tem funcionários fantasma.

No inquérito aberto pela Polícia Civil de Codó, sob o comando do delegado Regional, Alcides Martins, consta que o presidente da Câmara, vereador Chiquinho do Saae (PP) foi quem fez a denúncia na delegacia. À reportagem da TV Mirante, Chiquinho disse que começou a desconfiar do responsável pela folha de pagamento dos servidores da Casa, quando a Câmara passou a ter dificuldade para pagar as despesas do mês, mesmo com redução de gastos e recebido reajuste no repasse mensal feito pela prefeitura.

A gente estava transferindo conta de um mês para o outro, então, eu pedi que o setor contábil da Casa fizesse um levantamento e que confrontasse as folhas de pagamento junto ao banco e eu passei a acompanha-lo de perto. Foi constatado há uns seis, sete meses e eu precisava reunir mais documentações em relação a isso pra que a gente pudesse fazer a denúncia, como ficaria minhas contas? Se eu não registrasse um B.O., se eu não tomasse uma providência eu estaria cometendo um crime de prevaricação”, disse o presidente.

Folha-de-pgto
Folha de pagamento da Câmara de Codó

De acordo com o delegado, o funcionário denunciado por Chiquinho do Saae, conseguiu colocar para receber no Legislativo, três pessoas que nunca foram dá expediente na Câmara e, portanto, por lá, quem de fato exerce a função para a qual foi designado, nunca foram vistas trabalhando. Uma destas, com nome fictício, do tipo criado, mas com CPF original, e um destes, pertence à esposa do acusado inserido na folha de pagamento.

Entre 2013 e 2015, foi desviado muito dinheiro através do esquema. A fraude parecia perfeita, até o suspeito iniciar uma vida de ostentação que nem de longe era condizente com sua renda familiar. Além da criação de inúmeras vantagens salariais para os funcionários fantasmas colocados por ele na folha de pagamento do Legislativo Codoense.

Na investigação da Polícia Civil de Codó já foi identificado até agora que o desvio de recursos públicos da Câmara Municipal é da ordem de R$ 176.581,00 em salários, afora os adicionais como décimo terceiro e décimo quarto salários destinados a três fantasmas colocados pelo funcionário que ainda não teve o nome revelado. No entanto, o valor é ainda maior, provavelmente, superior aos 200 mil reais.

De acordo com informações da Câmara declaradas à TV Mirante (repórter Acélio Trindade), além desse valor já levantado pela Polícia Civil, também há a existência de pelo menos 08 empréstimos feitos pelo funcionário investigado e, a partir daí, a cifra deve ultrapassar os R$ 280.000,00 desviados.

O delegado Alcides Martins, informou que o funcionário que foi demitido, foi ouvido na Delegacia e não negou que estava realizando o desvio, mas disse que tudo o que fazia era com o consentimento dos vereadores e disse ainda que existem outros mais funcionários fantasmas no Legislativo Municipal.

papeis-da-investigação
Documentos encaminhados à Polícia Civil

Chiquinho do Saae disse que a acusação não procede e que os vereadores tem direito a manter assessores externos que recebem, mas não, necessariamente, precisam ir à Câmara, justamente por executarem serviços fora do Parlamento. “O presidente da Câmara não tem o controle desses funcionários e que prestam essas funções, esses serviços na Casa são prestados, então eu não considero como funcionários fantasmas, eu considero como chefe de gabinete, assessores legislativos e que eles vem na Casa e não é todo dia porque eles acompanham seus vereadores nas funções externas”, disse o presidente.

Mesmo com as declarações do presidente Chiquinho do Saae afirmando a inexistência desses fantasmas apontados pelo ex-funcionário, a Polícia Civil e o Ministério Público querem ter certeza de que não há mais ninguém se apropriando de recursos públicos sem prestar serviços, os chamados servidores fantasmas.

Parte desses funcionários são funcionários da Câmara que tem uma folha de frequência que é feita no próprio prédio da Câmara Municipal e outros não. São os próprios vereadores quem fazem a frequência desses funcionários. De fato, nós pedimos essas informações e estamos analisando e a depender da situação, vamos intimar algumas pessoas para ouvir e verificar se são funcionários da Câmara ou se não são funcionários da Câmara”, disse o delegado Alcides Martins.

correio codoense

6 Comentários

  1. QUANDO VOCÊ GENERALIZA, DIZENDO “”TODOS PARLAMENTARES””,ESTÁ MENTINDO. RODRGO FIGUEIREDO TEM APENAS DOIS FUNCONÁRIOS NO SEU GABINETE. COM ELE, NÃO HÁ E NEM HAVERÁ FANTASMAS.

  2. só tenho a dizer que tenho vizinho que trabalha para o chiquinho a vários anos ganhado salario minimo agora o cara ja tem ate fazenda e mansão

  3. I love Sunday autumn strolls, the golden leaves, the crisp air… Your outfits looks super cosy, but also really cool! A good red coat is a timeless fashion choice, and looks great with the brown sa.ctelhElisa – Wandering Minds fashion

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RADIO MIRANTE 870 AM


Ramyria Santiago

Publicidade

Publicidade

Visite-nos e compre no Paraíba!

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

FC OLIVEIRA

Publicidade
Visitas Online!
Arquivos