Blog da Ramyria Santiago -

Plan capacita agentes comunitários de saúde para lidarem com adolescentes

Dentro do chamado mês de enfrentamento ao abuso e a exploração sexual a Plan, ONG ligada à infância e Juventude na região,  está capacitando 275 agentes comunitários de saúde de Codó. O gerente local, Anselmo Costa, explicou o motivo da escolha destes profissionais.

 “Nós entendemos que o agente comunitário de saúde pode ser um parceiro no sentido  de replicar as informações sobre atenção básica, sobre cuidados, sobre a saúde e também sobre a própria proteção desse adolescente”, disse o gerente

A qualificação se fez necessária também porque os próprios agentes sentem certa dificuldade na hora de abordar pessoas desta faixa etária. Raimundo Cunha Ribeiro destacou que se não houver a forma adequada de contato, sequer chegam a ser ouvidos.

 “Importância é justamente facilitar essa abordagem do adolescente, trazer pra ele que ele também precisa, não é só a gestante, não é só o hipertenso que precisa de atenção, mas também o adolescente que as vezes tem aquela questão de que saúde é só não ter doença e saúde é o bem-estar físico, mental e intelectual do indivíduo”, frisou o agente comunitário de grande experiência.

ASSUNTOS RELEVANTES

São vários os assuntos que podem ser tratados nas visitações diárias em cada bairro ou povoado, lembrou a agente comunitária de saúde Mirian Lima e, com este público, as vezes é preciso tocar em alguns mais sensíveis como o da sexualidade.

“Mas, infelizmente, eles não ouvem e acabam acontecendo…E A ORIENTAÇÃO SERIA O QUÊ? Esperar o tempo certo, estudar para que eles possam, na frente, arrumar algo de bom na vida, que possa ser um pai ou uma mãe de família mais adequado”, respondeu

Para se preparem melhor para estes desafios a ONG promoverá 4 dias de  capacitação.

“Vamos falar também sobre gravidez na adolescência, abuso de álcool e outras drogas e várias temáticas relacionadas ao adolescentes (…) Ele tá na ponta, ele, com certeza, vai ser capacitado pra poder essas informações de forma correta”, finalizou a facilitadora da ONG, Nicole Oliveira

fonte: Acélio Trindade

Categoria: Notícias