Blog da Ramyria Santiago -

TIMBIRAS: MORADORES REFORMAM PONTE E ENVERGONHAM PREFEITO

Após não obterem resposta satisfatória por parte da Prefeitura de Timbiras, moradores da localidade Pedra Preta, distante 10 km da sede do município, resolveram por iniciativa própria fazer a reconstrução de uma das três pontes que dá acesso à comunidade rural. A ponte foi reinaugurada neste último domingo, dia 6 de setembro, e foi motivo de comemoração por parte dos moradores locais.

De acordo com os moradores da Pedra Preta, povoado situado na região rural da Vila de São Sebastião, desde outubro de 2014 vários problemas se acumularam na localidade devido principalmente à precariedade na estrutura de uma ponte de 22 metros de extensão que estava totalmente danificada, o que impossibilitava o tráfego de veículos para o transporte de pessoas e da produção agrícola, situação que durou por longos 11 meses, trazendo angústia e prejuízos para os habitantes do lugar.

Segundo as lideranças comunitárias da Pedra Preta, várias solicitações foram encaminhadas para a Prefeitura Municipal de Timbiras, e que mesmo com esses diversos pedidos, nenhuma providência foi tomada pelo prefeito Fabrízio Araujo no sentido de resolver a questão da ponte que estava quebrada e intrafegável, o que só agravou as dificuldades enfrentadas diariamente pela população, como a exemplo do transporte escolar de crianças e adolescentes, que tiveram que improvisar o seu próprio transporte para ter acesso às aulas regularmente.

Outras comunidades rurais vivenciam essa mesma realidade de descaso da atual administração municipal para com a população, pois esse mesmo problema de perigo e de impedimento de livre locomoção já foi enfrentado pelos moradores do Povoado Flores dos Leles.

A reconstrução da ponte sobre o riacho Criminoso pela comunidade da Pedra Preta é emblemática e até mesmo simbólica, pois entrou para a História de Timbiras como um grito de independência um dia antes do proclamado por Dom Pedro I, quando rompeu os laços com Portugal. Para os timbirenses fica a lição de que a História é a mestra da vida, e que é o povo quem pode e deve lutar pela sua liberdade.

Por Toussaint Frazão/Oitimba.com

Categoria: Notícias

    Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

    *