Blog da Ramyria Santiago -

Adolescente de 14 anos é encontrada morta com sinais de estupro.

whatsapp-image-2016-10-11-at-13-06-08

Após sair para festa beneficente adolescente de 14 anos é encontrada morta com sinais de estupro.
A adolescente de 14 anos foi encontrada com sinais de abuso sexual
Na tarde deste último domingo (09) o corpo de uma adolescente de 14 anos foi encontrado com sinais de estupro abandonado em um barracão localizado no bairro Dona Engrácia em Catanduva (388 km de São Paulo). De acordo com a Polícia Militar, a estudante identificada como Ana Clara Macena dos Santos teria saído de casa na noite deste último sábado (08) para participar de uma festa beneficente do grêmio estudantil do Instituto Federal de Catanduva que teria contado com a participação de 300 jovens. Segundo informações do padrasto da vítima Alessandro Moreira de 37 anos, a enteada havia saído na companhia de uma colega. “Eu e a mãe dela só deixamos ela ir à festa porque foi acompanhada da mãe desta colega. O combinado era que no final da festa ela fosse trazida de volta para casa, mas isso infelizmente não aconteceu”, diz o padrasto. Já por volta da madrugada de domingo a família começou a tentar localizar a garota ligando para parentes e amigos e também comunicaram à polícia. Mas foi somente durante a tarde que o corpo da jovem foi encontrado por moradores seminua em um terreno baldio. As amigas da adolescente disseram à polícia que ela teria passado mal durante a festa, foi levada para uma sala e saíram para buscar água para a garota, mas quando voltaram Ana Clara já teria desaparecido. Testemunhas contaram à polícia que ela teria saído com um homem não identificado. A mãe da menina conta que a filha nunca bebeu. “Acho que colocaram algo na água dela. Deixaram ela sozinha, eu ligava e ligava, mas o celular dela só dava desligado”, conta a mãe da vítima. No atestado de óbito de Ana Clara consta que a causa da morte pode ter sido fratura na coluna cervical causada por uma pancada nas costas. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Catanduva irá sair em 30 dias com mais detalhes sobre a circunstância em que ocorreu o homicídio. “Nós estamos sem saber porque tudo isso aconteceu. A Ana era uma menina estudiosa, sempre ajudava a mãe aqui em casa e não tinha namorado. Só saía de casa quando a gente permitia. Queremos muito saber quem fez essa maldade com ela”, conclui o padrasto da vítima. Ainda segundo informações, dois adolescentes já foram ouvidos, mas liberados. O enterro da estudante ocorreu na manhã desta última segunda-feira (10) no Cemitério de Nossa Senhora de Fátima. O caso segue em investigação pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Catanduva

Categoria: Notícias

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*