Blog da Ramyria Santiago -

LISTA DE 81 PASSAGEIROS INCLUI 4 QUE NÃO EMBARCARAM E ESTÃO VIVOS

interna-e1480412352463m
Eles são Luciano Buligon, Plinio Filho, Gelson Merisio e Ivan Agnoletto. Avião com time da Chapecoense caiu na Colômbia nesta terça-feira.

A lista oficial de passageiros do avião com os jogadores da Chapecoense que caiu na Colômbia na madrugada desta terça-feira (29) tem os nomes de quatro pessoas que não embarcaram. Não há confirmação se outras pessoas embarcaram no lugar delas.
O avião levava o time para disputar uma partida válida pela final da Copa Sul-Americana. Há mais de 70 mortos e seis sobreviventes.
Segundo a relação fornecida pela autoridade de aviação civil colombiana, havia 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e nove tripulantes. Dos nomes que constam da lista, não embarcaram os seguintes passageiros:
– Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC); LEIA MAIS
– Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense; LEIA MAIS
– Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc); LEIA MAIS
– Ivan Carlos Agnoletto, jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó.

Além deles quatro, Matheus Saroli, que é filho do técnico da Chapecoense, Caio Júnior, não embarcou. Embora seu nome não estivesse na lista oficial, Saroli pretendia fazer a viagem. Isso só não aconteceu porque ele esqueceu o passaporte.

Depoimentos dos que não embarcaram
O presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Plínio Filho, e o prefeito de Chapecó, Luciano Bulignon, estavam em São Paulo e viajariam para Medelín na tarde desta terça. “Por essas coisas da vida, que só Deus explica, eu acabei ficando”, afirmou Buligon.
“É a maior tragédia que Chapecó pode passar. Nós vivíamos o momento de êxtase com nosso time de futebol . É uma cidade que estava pelo terceiro ano consecutivo na série A do campeonato brasileiro”, disse o prefeito.
Plínio Filho completou: “Ontem de manhã, eu me despedindo deles, eles diziam que iam em busca do sonho para tornar esse sonho uma realidade e nós, muito emocionados, compartilhamos muito com eles desse sonho, e o sonho acabou nesta madrugada”.

Em nota, Gelson Merísio disse que “apesar de programada a minha presença no voo acompanhando o time, optei por não fazê-lo por conta das atividades programadas no Legislativo esta semana”.
O presidente Alesc ainda afirmou estar “bastante impactado e comovido”. Desejou também “toda a força para a família dos jogadores, da comissão técnica e dos jornalistas que acompanhavam a delegação”.
A quarta pessoa a integrar a lista oficial de passageiros e não embarcar é o radialista Ivan Carlos Agnoletto, da Super Condá. Ele estava e São Paulo, onde cobriu o jogo entre Chapecoense e Palmeiras, no domingo (27). Embarcaria para a Colômbia, onde trabalharia na final da Copa Sul-Americana, mas desistiu após ser informado que poderia ter sua entrada barrada no país por carregar um documento de identidade antigo.
Uma quinta pessoa não tinha o nome na lista, mas embarcaria caso não tivesse tido problemas com documentos. Matheus Saroli, filho do técnico da Chapecoense, Caio Júnior, não estava no voo por ter esquecido o passaporte. O nome dele não consta da lista oficial. O pai dele embarcou. “Somos fortes, vamos passar por isso”, escreveu Saroli em sua página do Facebook.
Sobreviventes
A autoridade de avião civil da Colômbia informou que há 75 mortos e seis sobreviventes. Foram resgatados com vida os seguintes passageiros:
– Alan Luciano Ruschel (lateral da Chapecoense);
– Jackson Ragnar Follmann (goleiro da Chapecoese);
– Hélio Hermito Zampier, o Neto (zagueiro da Chapecoense);
– Rafael Henzel (jornalista brasileiro da Oeste Capital, de Chapecó);
– Ximena Suarez (auxiliar de voo);
– Erwin Tumiri (técnico da aeronave).

O goleiro Marcos Danilo Padilha, que havia sido resgatado com vida, morreu no hospital, informou a Cruz Vermelha.

Veja, abaixo, a relação das pessoas que estavam a bordo:

Categoria: Notícias

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*