Blog da Ramyria Santiago -

PASTOR DE IGREJA MARCA ENCONTRO COM A FIEL E MARIDO DESCOBRE E METE A PEIA NO PASTOR – VÍDEO.

DE CAMISA COR DE VINHO É O PASTOR

O encontro entre o pastor e a fiel da igreja aconteceu no Shophing cidade, que  fica no centro de B.H.
O Pastor marcou o encontro com  frequentadora da Igreja (fiel), só que a mesma é casada e provavelmente o pastor também. Os dois não contavam com a presença inesperada do marido da mulher e deu ruim pro pastor que tentou fugir, mais levou uns socos.

Veja vídeo


.

JOVEM APONTA ARMA PARA POLICIAL EM CODÓ E ACABA LEVANDO UM TIRO DO PM.

Foto dele na (upa ) depois de ter recebido os atendimentos

Segundo informaçoes de populares repassadas ao blog da Ramyria Santiago, já era por volta da 9:00h de  hoje (15) quando a PM do 17° BPM foi chamada por moradores de um lava jato próximo a unidade de pronto atendimento (UPA). Disseram para a guarnição da PM que um jovem de 17 anos chamado de Mateus estava discutido com outro menor chamado de Rafael também de 17 anos. No local se encontrava um PM à paisana  que vendo a discussão falou para  Mateus parar com a discussão, mais Mateus sacou de um arma apontou contra o PM. O PM pediu  para ele abaixar a arma, mais  Mateus não abaixou e iria  atirar,  mais o policial  foi mais rápido acertando o braço do Mateus.

Mateus depois de ferido foi levado para (UPA ) esta fora de perigo de vida,
Mateus não sabia que ele estava apontando uma arma para um PM. Já Rafael que estava discutindo com Mateus fugiu do local. Os dois são morador do Bairro Codó Novo e a discussão deles seria por uma rixa.

VIOLÊNCIA EXTREMA: REGIONAL DE CODÓ FECHA ANO DE 2016 COM 74 ASSASSINATOS.

As cidades da regional São Codó, Timbiras, Coroatá e Peritoró. Considerando a estatística policial, Peritoró é a menos violenta delas onde ano passado foram registrados apenas 2 assassinatos, contra 6 em Timbiras e 17 em Coroatá. Nos últimos dois anos, a maior delas tem sido mesmo o destaque – Codó.

De acordo com dados da Polícia Civil.

Em 2015 foram mortas 46 pessoas em Codó. Ano passado este número subiu para 49 assassinatos.

“A motivação desses crimes geralmente são vingança e acerto de contas, quase que a totalidade desses crimes envolve indivíduos com passagens tanto as vítimas, como os autores são indivíduos que já tiveram envolvimento com crimes como tráfico de drogas, assaltos que em virtude de desentendimentos entre eles acabam que venha  a ocorrer esses homicídios. Tivemos casos sim de pessoas sem passagens mas são pouquíssimos casos desse universo”, explicou o delegado regional Zilmar Santana.

Sobre que fim levaram os inquéritos de todos estes crimes, o delegado regional explicou que em 2015 80% deles foram encerrados com a identificação e prisão dos acusados.

Ano passado a estatística caiu para 50% porque o restante ainda está sob investigação.

“Esses casos eles não são arquivados, a polícia Civil, nenhuma polícia tem autorização para arquivar casos por falta de autoria, os crimes permanecem em investigação na delegacia, são remetidos à Justiça  para que isso seja analisado a necessidade de diligência por parte do Ministério Público e em seguida são realizadas estas diligências conforme solicitado”, frisou a autoridade policial

ADVOGADO É ACUSADO DE ABUSAR DE TRÊS ADOLESCENTES EM CORRENTE. UM DOS MENORES FOI ABUSADO DOS 7 AOS 14 ANOS.


Um advogado identificado como Acácio Pereira da Silva, de 33 anos, foi preso sob acusação de abusar sexualmente de três adolescentes no município de Corrente, a 600 km de Teresina. De acordo com o delegado regional de Corrente, Danilo Barroso, a prisão ocorreu após mandado de prisão expedido pelo juiz Carlos Marcello Sales Campos, da Comarca do município.
“Nós aqui da Delegacia de Corrente fomos procurados por um dos menores e pela mãe dele. Eles expuseram o caso e logo em seguida nós iniciamos investigação. Após isso, encontramos mais duas vítimas que relataram ter sido abusadas por ele. Nós, então, solicitamos pedido de prisão ao juiz Carlos Marcello Sales Campos da Comarca do município, que expediu na segunda-feira”, afirmou ao
Segundo o delegado, uma das crianças foi abusada durante 7 anos. “As vítimas foram três menores de idade. Um deles o [advogado] abusou dos 7 aos 14 anos de idade, portando, durante 7 anos. É um advogado muito conhecido aqui na cidade. Ele era uma pessoa acima de qualquer suspeita. Uma das vítimas foi abusada na própria casa, já que o acusado era muito próximo da família”, completou.
O delegado explica que não houve penetração entre vítima e acusados. “Não foi feito exame de corpo de delito nos adolescentes porque não houve penetração. Era basicamente aliciamento. Ele é uma pessoa esclarecida e para não deixar vestígios, fazia isso. Ele se aproveitava dessa criança da qual ele era próximo da família. Ele se aproveitava da ausência dos familiares para agir escondido”, declarou.
Acácio Pereira da Silva foi preso na casa dos pais na cidade de Parnaguá . “Ele foi encontrado em Parnaguá , na casa dos pais. Ele não ofereceu nenhuma resistência e a prisão ocorreu mediante da presença de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Piauí”, informou.
O advogado está detido no 7ª Batalhão da Polícia Militar de Corrente e será transferido para capital.

CAMISA ENSANGUENTADA DE VALDEMIRO SANTIAGO É USADA PARA "CURAR" FIES. SERÁ?.


A peça foi guardada “pela importância do que aconteceu”
A câmera de televisão dá um zoom no pescoço do pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus. Ele arregaça a gola e mostra o curativo da facada que levou no pescoço no culto de domingo de manhã. “Imagina um facão com toda a força batendo sobre a sua jugular”, diz. Sentado numa bancada ao lado da esposa, a bispa Francileia Santiago, o religioso afirma em seu canal de TV que a camisa usada na hora do ataque já serviu até para “curar” fiéis. Nas imagens, um membro da igreja aparece esfregando-a em um manto.
Image title
“Passaram até a camisa ensanguentada no manto. Quando ela [a fiel] tocou no manto, ela aplumou. Foi curada. O demônio fez o serviço dele, mas acabou dando o contrário. No acerto de contas com o diabo, foi assim: ‘E aí, como é que foi com o Valdemiro? O saldo foi negativo. Porque teve até gente que saiu curada’”, diz o pastor, que se autointitula apóstolo. “A unção está na nossa roupa, no nosso copo, no nosso relógio, na nossa aliança, no nosso chapéu, no nosso sangue”, explica Santiago, fazendo a ressalva de que o poder vem de Deus e não dele.
No domingo, enquanto ele distribuía bênçãos aos fiéis na chamada “imposição de mãos”, o ajudante-geral Jonathan Gomes Higino, de 20 anos, aproximou-se dele e o golpeou com um facão no pescoço. Jonathan foi detido em flagrante e teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. O pastor foi levado ao Hospital Sírio Libanês, onde levou 25 pontos, e recebeu alta após passar menos de seis horas internado.
Na TV Bandeirantes, Santiago chegou até a fazer brincadeira com o ataque, dizendo que vai instituir agora a “fila do açougue”. Para ele, ontem foi definitivamente um “dia de azar”. Despencou até da maca quando era encaminhado ao hospital. “Eles me deixaram cair da ambulância com a cabeça no chão. Eu estava com um azar aquele dia”, completou.
Em entrevista, o pastor Jorge Pinheiro, que assumiu temporariamente o comando da Poder de Deus, disse que a camisa ensanguentada de Santiago não seria utilizada para “fins simbólicos”, mas que foi guardada “pela importância do que aconteceu”.
“FOI A MÃO DE DEUS QUE SALVOU”
Um dia depois do ataque, os membros da congregação se mostravam espantados com a agressão e mais seguros na fé depositada em seu líder religioso.
Na tarde desta segunda-feira, VEJA conversou com integrantes da igreja no templo que fica no bairro do Brás, no centro da capital paulista, onde o crime aconteceu. Sentado em uma cadeira na recepção, assistindo à entrevista de Santiago dada ao apresentador José Luiz Datena, o funcionário da igreja Marivaldo Lima de Assis não tinha dúvida sobre como o líder religioso sobreviveu aos golpes de facão que levou: “Foi a mão de Deus que o salvou”.
Dentro do templo, que comporta até 40 mil pessoas, rezando sozinho, o soldado Willian Costa Mendes, 22 anos, contou que estava na fila à espera de benção do bispo quando tudo aconteceu. Mendes considera que o atentado reforçou sua fé em Deus. “O apóstolo é um grande exemplo. A pessoa fez maldade com ele e ele o perdoou”, disse. O jovem disse ter chorado depois do ataque.
Raimundo Simião, 61, também estava presente no domingo. Ele ajudava na organização das filas das bençãos na hora do ataque. Sua admiração por Santiago também cresceu depois do ataque: “Deus mostrou para o mundo inteiro que está presente no apóstolo”.
Vinda de Aragarças, em Goiás, Cristine de Oliveira, 66, era uma das 15 mil pessoas presentes naquela manhã de domingo. Ela ficou indignada por ver uma pessoa do “quilate do apóstolo” ser atacada em seu próprio templo. “Eu vi o sangue no chão e na hora já comecei a orar. Tenho mais fé nele agora, que provou mais do que nunca que é um ungido de Deus”. Oliveira se disse preocupada, com medo de que o apóstolo abandonasse os fiéis depois do ataque.
Já na sala de recepção da igreja, o clima era de normalidade. O bispo Jorge Pinheiro, que estava no altar no momento da agressão disse não ter visto o ataque. “Só percebi a gravidade quando ele passou por mim e disse ‘tentaram cortar minha carótida’”. Pinheiro conta que ouviu relatos de pastores afirmando que o movimento nos cultos à tarde e à noite no domingo havia aumentado. “Muitas pessoas foram orar pelo apóstolo.”
Sobre o agressor, o pastor disse que foi preso pelos seguranças e ficou trancado em uma sala na igreja até que a polícia chegasse. Conforme o bispo o esquema de segurança nos dias de cultos não será alterado.
Egresso da Igreja Universal do Reino de Deus, Valdemiro Santiago rompeu com o bispo Edir Macedo e fundou em 1998 a Igreja Mundial do Poder de Deus, denominação que, segundo a sua página na internet, tem 4500 templos no Brasil e no exterior

CAMISA ENSANGUENTADA DE VALDEMIRO SANTIAGO É USADA PARA “CURAR” FIES. SERÁ?.

A peça foi guardada “pela importância do que aconteceu”

A câmera de televisão dá um zoom no pescoço do pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus. Ele arregaça a gola e mostra o curativo da facada que levou no pescoço no culto de domingo de manhã. “Imagina um facão com toda a força batendo sobre a sua jugular”, diz. Sentado numa bancada ao lado da esposa, a bispa Francileia Santiago, o religioso afirma em seu canal de TV que a camisa usada na hora do ataque já serviu até para “curar” fiéis. Nas imagens, um membro da igreja aparece esfregando-a em um manto.
Image title
“Passaram até a camisa ensanguentada no manto. Quando ela [a fiel] tocou no manto, ela aplumou. Foi curada. O demônio fez o serviço dele, mas acabou dando o contrário. No acerto de contas com o diabo, foi assim: ‘E aí, como é que foi com o Valdemiro? O saldo foi negativo. Porque teve até gente que saiu curada’”, diz o pastor, que se autointitula apóstolo. “A unção está na nossa roupa, no nosso copo, no nosso relógio, na nossa aliança, no nosso chapéu, no nosso sangue”, explica Santiago, fazendo a ressalva de que o poder vem de Deus e não dele.
No domingo, enquanto ele distribuía bênçãos aos fiéis na chamada “imposição de mãos”, o ajudante-geral Jonathan Gomes Higino, de 20 anos, aproximou-se dele e o golpeou com um facão no pescoço. Jonathan foi detido em flagrante e teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. O pastor foi levado ao Hospital Sírio Libanês, onde levou 25 pontos, e recebeu alta após passar menos de seis horas internado.
Na TV Bandeirantes, Santiago chegou até a fazer brincadeira com o ataque, dizendo que vai instituir agora a “fila do açougue”. Para ele, ontem foi definitivamente um “dia de azar”. Despencou até da maca quando era encaminhado ao hospital. “Eles me deixaram cair da ambulância com a cabeça no chão. Eu estava com um azar aquele dia”, completou.
Em entrevista, o pastor Jorge Pinheiro, que assumiu temporariamente o comando da Poder de Deus, disse que a camisa ensanguentada de Santiago não seria utilizada para “fins simbólicos”, mas que foi guardada “pela importância do que aconteceu”.
“FOI A MÃO DE DEUS QUE SALVOU”
Um dia depois do ataque, os membros da congregação se mostravam espantados com a agressão e mais seguros na fé depositada em seu líder religioso.
Na tarde desta segunda-feira, VEJA conversou com integrantes da igreja no templo que fica no bairro do Brás, no centro da capital paulista, onde o crime aconteceu. Sentado em uma cadeira na recepção, assistindo à entrevista de Santiago dada ao apresentador José Luiz Datena, o funcionário da igreja Marivaldo Lima de Assis não tinha dúvida sobre como o líder religioso sobreviveu aos golpes de facão que levou: “Foi a mão de Deus que o salvou”.
Dentro do templo, que comporta até 40 mil pessoas, rezando sozinho, o soldado Willian Costa Mendes, 22 anos, contou que estava na fila à espera de benção do bispo quando tudo aconteceu. Mendes considera que o atentado reforçou sua fé em Deus. “O apóstolo é um grande exemplo. A pessoa fez maldade com ele e ele o perdoou”, disse. O jovem disse ter chorado depois do ataque.
Raimundo Simião, 61, também estava presente no domingo. Ele ajudava na organização das filas das bençãos na hora do ataque. Sua admiração por Santiago também cresceu depois do ataque: “Deus mostrou para o mundo inteiro que está presente no apóstolo”.
Vinda de Aragarças, em Goiás, Cristine de Oliveira, 66, era uma das 15 mil pessoas presentes naquela manhã de domingo. Ela ficou indignada por ver uma pessoa do “quilate do apóstolo” ser atacada em seu próprio templo. “Eu vi o sangue no chão e na hora já comecei a orar. Tenho mais fé nele agora, que provou mais do que nunca que é um ungido de Deus”. Oliveira se disse preocupada, com medo de que o apóstolo abandonasse os fiéis depois do ataque.
Já na sala de recepção da igreja, o clima era de normalidade. O bispo Jorge Pinheiro, que estava no altar no momento da agressão disse não ter visto o ataque. “Só percebi a gravidade quando ele passou por mim e disse ‘tentaram cortar minha carótida’”. Pinheiro conta que ouviu relatos de pastores afirmando que o movimento nos cultos à tarde e à noite no domingo havia aumentado. “Muitas pessoas foram orar pelo apóstolo.”
Sobre o agressor, o pastor disse que foi preso pelos seguranças e ficou trancado em uma sala na igreja até que a polícia chegasse. Conforme o bispo o esquema de segurança nos dias de cultos não será alterado.
Egresso da Igreja Universal do Reino de Deus, Valdemiro Santiago rompeu com o bispo Edir Macedo e fundou em 1998 a Igreja Mundial do Poder de Deus, denominação que, segundo a sua página na internet, tem 4500 templos no Brasil e no exterior

AGRESSOR DE VALDEMIRO SANTIAGO DIZ QUE PASTOR O PROVOCOU EM CULTO

O homem que feriu o pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, com um facão durante um culto neste domingo (8/1) afirmou à polícia que o motivo do ataque teria sido uma provocação feita pelo religioso. As informações são da revista Veja São Paulo.

Segundo o ajudante geral Jonathan Gomes Higino, de 20 anos, o pastor teria dito: “Vamos crucificar ele”, referindo-se ao agressor. A declaração foi feita durante um culto na igreja em julho do ano passado. O relato consta em depoimento prestado ao 8º Distrito Policial de São Paulo.

Na delegacia, Higino disse que pegou a arma usada no crime há cerca de duas semanas, dentro do quintal de uma residência. Ele foi preso em flagrante e vai responder por tentativa de homicídio.