Blog da Ramyria Santiago - O mais polêmico da cidade

CORONEL DA PM DE CODÓ É OBRIGADO A DIVULGAR NOMES DE PMs QUE ABORDARAM VEREADOR JUNIOR OLIVEIRA

Veja documento em que  Coronel Jurandy Braga envia para a câmara de vereadores com os nomes dos PMs que fizeram a abordagem no vereador e revistaram seu carro.  No documento aparece CB FONTINELE, SD GENÉSIO E O SD PEREIRA.

                           ENTENDA TODO O CASO;

Os Vereadores de Codó ficaram revoltados após a PM revistar carro do vereador Junior Oliveira

vereador

O que seria uma abordagem de rotina terminou em atrito e revolta de 09 parlamentares de Codó.

No dia 15 de janeiro, às 11 horas, Policiais Militares de Codó suspeitaram que o carro conduzido pelo vereador Junior Oliveira poderia ter sido usado em alguma ação criminosa e abordou o veículo assim que ele foi estacionado em frente à Câmara Municipal de Codó. Os PMs pediram ao edil que realizassem uma revista no carro e foram autorizados por ele.

Recebemos a informação de que nada foi encontrado, porém a ação policial deixou os vereadores revoltados com os PMs.

Diante do fato, os vereadores enviaram um oficio ao comando da “9º Companhia Independente da Policia Militar do Estado do Maranhão em Codó-MA”. Os parlamentares solicitam em caráter de urgência os nomes dos 3 policiais que participaram da ação no carro do edil.

Os parlamentares argumentam que houve total desrespeito a instituição legislativa como um poder constituído e ao edil Junior Oliveira.

O documento foi assinado pelos vereadores Junior Oliveira, iltamar Muniz, Leonel Filho, Cleane Cobel, Maria Paz, André Jansen, Domingos Reis, Chaguinha da Câmara e Milson da Gabriela.

Leia na íntegra:

Senhor Comandante,

No dia da reunião da Comissão em 15 de janeiro de 2018 as 11:00 horas da Oliveira Relator desta Comissão ao aproximasse da Câmara Municipal de Codó-MA no seu local de trabalho e precisamente ao estacionar seu veículo no estacionamento desta casa Legislativa foi abordado por Policiais Militares que para a sua surpresa, de forma acintosa, grosseira, ameaçadora e desrespeitosa e também ao que tudo indica dirigida com o objetivo de desmoraliza-lo e ofender covardemente a sua dignidade e moral perante a sociedade, pois tal episódio é inconcebível e infringe as leis vigentes no País e fere de morte os princípios Constitucionais sobre a preservação da imagem e do respeito.

Assim solicitamos oficialmente em caráter de urgência a Vossa Senhoria os nomes dos 03 policiais que fizeram aquela operação, que abordaram com a arma em punho em tom grave ameaça o Ver. Junior Oliveira, os quais trafegavam em uma caminhonete Blazer da Policia Militar os quais prestaram um desserviço, para tomarmos todas as medidas legais junto a esta respeitosa corporação, a Secretaria de Segurança do Estado do Maranhão e a Justiça de nosso Estado.

Dessa forma entendemos que houve um total desrespeito a instituição legislativa como um poder constituído e ao Edil, assim sendo de vital importância tornados as providencias o mais breve possível para aplicarmos de forma firme todas as medidas cabíveis junto a todos os órgãos competentes e em todas as instancias possíveis, pois queremos Justiça e o mínimo de educação e respeito que qualquer cidadão por mais humilde que seja merece.

O oficio foi recebido pelo Comandante do 17º Batalhão da Policia Militar, Tenente Coronel Jurandy Braga, que respondeu os vereadores.

O Comandante, também através de um oficio, inicia sua resposta corrigindo os parlamentares, que erraram ao mandar o documento a 9º Companhia Independente, quando deveria ter sido enviado ao 17º batalhão de Policia Militar.

Jurandy Braga também afirma que não vai instaurar procedimento administrativo, pois não houve pedido de abertura de apuração dos fatos narrados no documento enviado pelos edis.

Leia na íntegra a resposta do Comandante do 17º Batalhão da Policia Militar:

            Senhores Vereadores,

Em resposta ao Oficio em referência, solicito-vos que em razão do prosseguimento regular dada às documentações oficiais recebidas nesta Unidade e despacho ao escalão superior no Comando geral da corporação, seja corrigido a denominação desta Organização Policial Militar, visto que, a 9º Companhia Independente foi remanejada para outra cidade do interior do estado e nesta cidade fica sediado o 17º batalhão de Policia Militar. Portanto remeto-vos o expediente supramencionado, a fim de que seja corrigido o título para 17º Batalhão de Policia Militar, ora em vigor.

Outrossim, informo-vos que por não constar na referida solicitação, pedido de abertura de apuração dos fatos narrados no documento em referência, deixo de instaurar procedimento administrativo, ficando à disposição de Vossas Senhorias a Ouvidoria e Corregedoria desta Unidade para posterior formulação de queixa, cujo procedimento se inicia com o depoimento do denunciante ao Ouvidor e Corregedor desta Unidade Policial Militar.

texto de marco silva

MÉDICO É PRESO APÓS RECUSAR SOCORRO A RECÉM NASCIDO E BEBÊ MORRE. VEJA VÍDEO

O médico Paulo Roberto Penha Costa, de 44 anos, foi preso na madrugada desta quinta-feira (1º) após omitir socorro a um recém-nascido no município de  Pinheiro, a 333 km de São Luís.

Segundo informações da Polícia Militar, o recém-nascido em estado grave que estava em uma ambulância da cidade de São Bento, que fica a 63 Km de Pinheiro. No entanto chegando ao no hospital Materno Infantil, o recém-nascido não foi socorrido porque Paulo Roberto alegou que não atenderia um paciente de outro município.

Ainda de acordo com os policiais, o médico não saiu do seu quarto nem para atender a criança e nem para dar explicações aos policiais. Diante da recusa do médico, os policiais decidiram prender Paulo Roberto pelo crime de omissão de socorro. O bebê morreu minutos depois dentro da ambulância na porta do hospital.

Por telefone, o delgado de Pinheiro disse que o médico contou em seu depoimento que não prestou socorro por conta de uma determinação da direção do hospital para que não atendessem pacientes de outras cidades e que estes deveriam ser levados para Viana.

O médico Paulo Roberto Penha Costa foi autuado em flagrante por homicídio culposo e se não pagar fiança correspondente a 50 salários mínimos será transferido para o presídio ainda nesta quinta. VEJA VÍDEO

 

HOMEM É PRESO ACUSADO DE ESTUPRAR A PRÓPRIA FILHA NO PIAUÍ

A Polícia Civil do Estado do Piauí, através da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher de Parnaiba (DEAM) com o apoio da Delegacia de Homicídio/ Latrocínio/Tráfico (DHTL) deu cumprimento nessa quarta-feira (31), ao Mandado de Prisão em desfavor de Josadarc Silva Santos, vulgo Dario, acusado de estupro de vulnerável.

Segundo a polícia, a vítima foi a própria filha do acusado. O crime ocorreu em 26 de junho de 2017, na cidade de Parnaíba. A delegacia informou ainda que desde a data do ocorrido vem realizando diligências no sentido de cumprir o mandado, sendo que o acusado e a família mudavam constantemente de endereço, dificultando a prisão.

Fonte: Portal R10

HOMEM QUE DECAPITOU MULHER EM VÍDEO DIZ QUE "ELA NÃO ERA SANTA E ESQUARTEJOU IRMÃO DELE


André Martins saiu do presídio há 6 meses, onde cumpriu pena por tráfico e conta como cometeu o crime.
Homem foi apresentado na DIC, em Rio Branco/Foto: Folha do Acre
André de Souza Martins, 28 anos, essa é a identificação do homem que confessa ter decapitado a golpes de terçado, esquartejado e enterrado o corpo da jovem Débora Bessa, 19 anos. O crime não teve a data confirmada, mas segundo a polícia, pode ter ocorrido entre os dias 9 a 13 de janeiro, período em que Débora estava desaparecida após anunciar desligamento da facção Bonde dos 13. O cadáver da vítima foi encontrado pelos próprios familiares numa cova rasa no bairro Caladinho, na periferia de Rio Branco.
O criminoso, que tinha saído do presídio há 6 meses, foi preso e apresentado na manhã desta terça-feira (30), na Divisão de Investigações Criminais (DIC), onde contou aos jornalistas detalhes sobre a barbárie. Martins alega ter matado a mulher por vingança, pois segundo ele, Débora teria tramado e participado da morte de seu irmão. Ele afirma que ela também teria torturado e esquartejado seu irmão, cortando inclusive os dedos dele.
“Isso aí foi por vingança, por vingança, jamais eu iria fazer isso a mando de outras pessoas. Porque ela disse que tinha cortado desde o primeiro dedo dos pés do meu irmão e  até os braços dele. Ela acabou com minha vida dentro da cadeia, ela acabou com a vida da minha mãe, porque ela viu o filho dela esquartejado. Até hoje ela toma remédio controlado por isso daí. Eu descobri que ela estava em um grupo de família (facção), que até hoje a família dela (parceiros criminosos) participa desse grupo”, disse.
O vídeo
André Martins afirmou que os outros envolvidos no crime foram chamados por ele apenas para gravar o crime com o celular, e que na hora um dos adolescentes de 17 anos teria desferido golpes de faca em Débora. As imagens foram divulgadas na internet e chocaram a população acreana. A rede de televisão BBC, de Londres, fez uma reportagem sobre a violência no estado, tendo com um dos destaques o vídeo da jovem sendo morta.

HOMEM QUE DECAPITOU MULHER EM VÍDEO DIZ QUE “ELA NÃO ERA SANTA E ESQUARTEJOU IRMÃO DELE

André Martins saiu do presídio há 6 meses, onde cumpriu pena por tráfico e conta como cometeu o crime.

Homem foi apresentado na DIC, em Rio Branco/Foto: Folha do Acre

André de Souza Martins, 28 anos, essa é a identificação do homem que confessa ter decapitado a golpes de terçado, esquartejado e enterrado o corpo da jovem Débora Bessa, 19 anos. O crime não teve a data confirmada, mas segundo a polícia, pode ter ocorrido entre os dias 9 a 13 de janeiro, período em que Débora estava desaparecida após anunciar desligamento da facção Bonde dos 13. O cadáver da vítima foi encontrado pelos próprios familiares numa cova rasa no bairro Caladinho, na periferia de Rio Branco.

O criminoso, que tinha saído do presídio há 6 meses, foi preso e apresentado na manhã desta terça-feira (30), na Divisão de Investigações Criminais (DIC), onde contou aos jornalistas detalhes sobre a barbárie. Martins alega ter matado a mulher por vingança, pois segundo ele, Débora teria tramado e participado da morte de seu irmão. Ele afirma que ela também teria torturado e esquartejado seu irmão, cortando inclusive os dedos dele.

“Isso aí foi por vingança, por vingança, jamais eu iria fazer isso a mando de outras pessoas. Porque ela disse que tinha cortado desde o primeiro dedo dos pés do meu irmão e  até os braços dele. Ela acabou com minha vida dentro da cadeia, ela acabou com a vida da minha mãe, porque ela viu o filho dela esquartejado. Até hoje ela toma remédio controlado por isso daí. Eu descobri que ela estava em um grupo de família (facção), que até hoje a família dela (parceiros criminosos) participa desse grupo”, disse.

O vídeo

André Martins afirmou que os outros envolvidos no crime foram chamados por ele apenas para gravar o crime com o celular, e que na hora um dos adolescentes de 17 anos teria desferido golpes de faca em Débora. As imagens foram divulgadas na internet e chocaram a população acreana. A rede de televisão BBC, de Londres, fez uma reportagem sobre a violência no estado, tendo com um dos destaques o vídeo da jovem sendo morta.