Blog da Ramyria Santiago -

HOMEM ESPANCA MULHER GRAVIDA DE 8 MESES EM CODÓ E ACABA PRESO

Por volta das 22h de terça feira (06/03) a Polícia Militar de Codó recebeu denúncia, via 190, que um homem estaria agredindo sua esposa na 4 Travessa João Lisboa no Morro da Televisão. A guarnição comandada pelo Sgt Freitas se deslocou até o local e constatou a veracidade dos fatos. Segundo a vítima que esta grávida de 08 meses o acusado identificado por Rodrigo Costa do Nascimento, de 23 anos desferiu vários socos no seu rosto e na barriga, como também apertou seus pescoço com a mãos causando vários arranhões. Mediante a situação o acusado foi conduzido para a 4 Delegacia Regional de Polícia Civil de Codo para que as medidas sejam tomadas

CORONEL É LEVADO PARA O COMANDO GERAL E MAIS UM MILITAR RECEBE VOZ DE PRISÃO.

Mais um militar suspeito de envolvimento com a organização criminosa desbaratada pela Polícia Civil receberá voz ainda na noite de sábado, 03. Tão logo acabe de depor na Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (Seccor), o soldado Paulo Ricardo será encaminhado, preso, ao Comando Geral da Polícia Militar do Estado, no Calhau.

O Coronel Francalanci já encerrou o seu depoimento e foi levado para o quartel, onde está recolhido.

Dos 18 pedidos de prisão feitos pela Polícia Civil contra os suspeitos de envolvimento com a organização criminosa especializada em contrabando desbaratada na semana passada, agora já são 13 atendidos e cumpridos.

Veja a relação:

– LUCIANO FARIAS — Major PM

– JOAQUIM PEREIRA DE CARVALHO – Sargento PM

– FERNANDO PAIVA DE CARVALHO – Soldado

– ROGÉRIO SOUSA GARCIA – ex-vice-prefeito de São Mateus

– JOSÉ GONÇALVES  – Civil, dono do sítio em Quebra-Pote

– EDIMILSON SILVA MACEDO – Civil

– EDER CARVALHO PEREIRA – Civil

– THIAGO BARDAL – Delegado e ex-superintendente titular da Seic

– RICARDO JEFFERSON MUNIZ BELO – Advogado

– PADILHA – Tenente da reserva

– GLAYDSON DA SILVA – Soldado

– FRANCALANCI – Coronel

– PAULO RICARDO – Soldado

fonte:Jornal pequeno

CASOS DE FEBRE AMARELA ESTÃO SOB INVESTIGAÇÃO NO MARANHÃO

Vacinação contra a febre amarela vem sendo muito procurada por causa da possibilidade de surto no país.

O Maranhão, na prática, está sob alerta em relação à febre amarela. O Ministério da Saúde (MS) confirmou que dois possíveis casos no estado são investigados. Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou que os casos estão em apuração.

Caso os registros tenham diagnóstico positivo para a doença, a próxima estratégia das pastas estadual e federal será evitar um possível surto. Especialistas já apontavam a O Estado, conforme publicação no dia 31 de janeiro deste ano, o Maranhão como uma área endêmica para a febre amarela, por suas condições climáticas e proximidade com áreas de disseminação do mosquito transmissor.

De acordo com o Departamentomosquitologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o último caso confirmado de febre amarela em ser humano foi registrado no estado em 1992. “Não estamos totalmente sem o risco, já que a doença está ocorrendo em áreas de parques, zonas rurais e há cidades em nosso estado cercadas por localidades assim”, alerta a professora da UFMA, Maria dos Remédios Carvalho.

Desde o fim de janeiro deste ano, quando o MS recomendou que os setores de controle epidemiológico do estado executassem ações para intensificar a vacina contra a doença, o Maranhão está incluído nas ações estratégias de prevenção. Apesar do apelo inicial, nos primeiros dias da campanha, poucas pessoas na capital maranhense compareceram aos postos de saúde para se imunizar. Em nota, a SES informou que, desde o início do ano, são executadas ações em cidades com maior risco da doença, em especial, Balsas, Imperatriz, Barra do Corda, Rosário e São João dos Patos.

No primeiro mês de 2018, além dos casos sob investigação, outra possível ocorrência de febre amarela foi registrado no estado. No entanto, descartado em seguida após a realização de exames. Com a intensificação do período chuvoso, aumenta o alerta quanto ao combate dos focos (vistos preferencialmente em água parada) de transmissão do mosquito.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou, em nota, que os casos suspeitos de febre amarela no Maranhão, registrados no Informe nº 15 do Ministério da Saúde, tiveram como fonte de informação o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), sendo três casos notificados. Um caso notificado por São Paulo (SP), cujo município de residência do paciente é Bom Jesus das Selvas, foi descartado; um caso notificado por Teresina (PI), cujo município de residência é Santa Luzia, está sob investigação; e, um caso notificado por São Luís, cujo município de residência é Santa Inês, foi descartado por critério laboratorial, porém, o descarte ainda não consta no sistema.

Números

2.867 – notificados

785 – em investigação

723 – confirmados

1.359 – descartados

237 – óbitos

Maranhão

3 – notificados

2 – em investigação

1 – descartado

Fonte: Ministério da Saúde (MS)

MULHER DESCOBRE TRAIÇÃO, CORTA,COZINHA E COME ÓRGÃO GENITAL DO NAMORADO NO MARANHÃO


A enfermeira Brenda Barattini, de 26 anos, foi presa nesta segunda-feira (27) acusada de cortar, cozinhar e comer o órgão genital e os testículos de seu suposto namorado Sergio F. ela usou uma tesoura de jardinagem. De acordo com o delegado que investiga o caso, a mulher atacou o homem de 32 anos na manhã de hoje (28), na cidade de Capinzal do norte- MA.
Segundo a mãe do rapaz, o que incentivou o ataque teria sido uma traição descoberta por Brenda, ela teria planejado todo o ataque, Brenda convidou Sergio para sua casa e aproveitou o momento em que o rapaz dormia para amarra-lo na cama e cometer o ataque. Brenda cortou o órgão genital do rapaz e quanto ele gritava de dor ela foi até a cozinha e cozinhou o órgão genital e o comeu.
Os vizinhos ouviram os gritos de Sergio e chamaram a polícia, uma ambulância foi acionada, chegando no local os socorristas atenderam o rapaz e quando perguntaram sobre o órgão genital, Brenda não exitou em responder: “Eu comi ele”.

Apesar de estar na UTI, a vítima está consciente, em “estado regular”. Ele não chegou a comentar o caso. Os médicos, por sua vez, também preferiram não entrar em detalhes, porque é algo muito pessoal que “pode prejudicar bastante o estado psicológico do paciente”. Devido à internação, a polícia ainda não escutou a versão dele sobre os fatos.

“Não estamos entrando em detalhes que possam constranger o paciente”, informou a unidade.