Blog da Ramyria Santiago - | Ramyria Santiago

FAMÍLIA DENUNCIA QUE POLICIAL CIVIL DE CODÓ ATIROU EM LAVRADOR INOCENTE QUE HOJE LUTA PRA SOBREVIVER EM HOSPITAL

8Todos que ouvimos hoje,4, pela manhã, na Av. Marechal Castelo Branco, bairro São Pedro, contam a mesma versão – A Polícia Civil procurava por um suspeito de arrombamento identificado pelo apelido de Chicuta.

Ismael da Silva Brito, lavrador e garimpeiro de 38 anos de idade, passava naquele instante e os policiais civis, ainda dentro da viatura, se dirigiram em palavras à ele, como contou o irmão Joel da Silva Brito à nossa reportagem.

“Rapaz, para aí Chicuta, ele disse – não rapaz, eu não sou o Chicuta, quando ele parou pra pegar a carteira dele pra mostrar o documento, aí foi na hora que policial de dentro atirou nele…DE DENTRO DA VIATURA? De dentro da viatura…ATINGIU ONDE O TIRO? A região da barriga aqui”, respondeu

O irmão (Joel) também contou como os policiais agiram depois do tiro.

“Ele colocou as duas mãos no capô, levantou a mão, a camisa aliás e disse – rapaz vocês me mataram, fez só abrir a porta e empurrou ele pra dentro como se fosse um cachorro…LEVARAM PRA ONDE? Levaram pro HGM”, disse com ar de revolta

Este vídeo foi enviado ao blog pela família de Ismael, o mostra se recuperando da cirurgia no abdômen motivada pelo disparo do policial. Não houve informações sobre qual o quadro clínico atual do lavrador.

PALAVRA DA POLÍCIA

Na Quarta Delegacia nós não conseguimos falar com o delegado regional Gilvan Lucas de Sousa porque hoje (toda quarta-feira) é dia dele atender em Timbiras. Às 10h53min ligamos pra ele, que não atendeu o telefone.

Ouvimos, por telefone, o delegado Rômulo Vasconcelos que disse que ouviu do policial envolvido, à quem não identificou, que este só disparou porque imaginou que no momento em que Ismael foi tirar a carteira do bolso ele poderia sacar de uma arma, na realidade a vítima estava desarmada.

O delegado garantiu que um inquérito será aberto para apurar a responsabilidade do policial envolvido neste caso. O delegado disse que ainda não sabe nada sobre a vida de Ismael da Silva Brito, quando perguntado se já tem passagens pela delegacia.

“Eu não peguei o nome dele completo ainda, o nome dele é Ismael. Eu acompanhei ontem a cirurgia e tô esperando ele se restabelecer pra que a gente, pra ver se ele vem pra cá (delegacia) pra ele ser ouvido, né….O PROCEDIMENTO VAI ABRIR, NÉ? Lógico, isso vai ser apurado, a gente não vai se esquivar, a gente não é louco né, a gente vai apurar a responsabilidade sim”, disse Vasconcelos ao telefone

PARENTES E VIZINHOS COBRAM PUNIÇÃO

Todos os vizinhos e parentes garantem que não e já estão dispostos a procurar o Ministério Público se não houver abertura de inquérito.

“ A gente espera Justiça, nós, todos os moradores da rua, vamos pra porta da delegacia, vamos fazer abaixo-assinado, vamos pra porta do hospital, meu vizinho ele não tá bem, tá jogando numa cama, tá no leito lá do hospital (…) eles tão dizendo que ele teve reação de sacar arma, em momento algum ele teve movimento de sacar arma ele foi pegar a identidade dele pra mostrar pro policial, incompetentes, bando de incompetentes, tinha criança no momento, tinha idosos na suas portas”, disse a vizinha Maria do Carmos Oliveira de Sousa.

A mãe de Ismael, a senhora Maria José Pereira da Silva chora o tempo todo e também deseja que haja punição para o erro policial.

“Queremos Justiça, ele não é um bandido, ele é uma pessoa trabalhadora, todo mundo gosta pode perguntar aqui”, afirmou em lágrimas.

Categoria: Notícias
  • joelma silva diz:

    Meu irmao ainda esta de recuperando. Nao pode trabalhar mais.por conta desse equivoco que o policial fez. Hoje meu irmao nao esta muito bem, esse caso nao vai ficar em purni.queremos justiça ele e um cidadao de bem,trabalhador agora que esta acamado nao podera fazer o que fazia antes.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*