ALUNOS DE CODÓ APARECEM EM REDE NACIONAL FALANDO SOBRE FALTA DE COMPUTADORES NAS ESCOLAS.

 

Uma reportagem da Globo SP, feita pela jornalista Renata Ribeiro, produzida com o auxílio da equipe da TV Mirante de Codó, Maranhão,  foi exibida hoje, 16, em rede nacional por meio do Programa BOM DIA BRASIL da TV Globo. O assunto foi COMPUTADORES EM SALA DE AULA (Falta e utilização).

ABAIXO TEXTO DA MATÉRIA PUBLICADO NO SITE DO PROGRAMA

Uma pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico apontou a distribuição de computadores por alunos nas escolas de 64 países. A OCDE avaliou também o desempenho da Europa e do mundo em diversas áreas.

Os três países onde há mais computadores são a Austrália, onde tem mais computador do que estudantes em sala de aula; a Nova Zelândia, com pouco mais de um aluno para cada computador; e o Reino Unido, em terceiro, uma realidade bem próxima da Nova Zelândia.

Nas três últimas colocações desse ranking estão o Brasil, onde há mais de 22 alunos para cada computador. A Turquia com quase 45 alunos para cada computador. E a Tunísia, com pouco mais de 53 alunos por computador.

No Brasil, não bastaria apenas providenciar computador para estudantes. Está faltando uma coisa mais importante ainda, que é o pessoal saber ler. Falta o básico: o domínio da linguagem. Não adianta ter acesso à tecnologia, se o estudante não sabe nem mesmo ler e interpretar textos, por exemplo. Se ele não tem essa habilidade com os livros, não vai ter com os computadores.

Em uma escola na periferia de Codó, no Leste do Maranhão, tem laboratório de informática. Já computador está em falta.

“Tem que ir para lan house fazer a pesquisa. Aí, se nós já tivéssemos computadores aqui na escola, já fazíamos aqui mesmo na própria escola”, conta Remilson da Silva, estudante do 8º ano.

Em uma outra escola da Zona Sul de São Paulo tinha criança na quadra. No salão de jogos. No pátio. Enquanto sobravam computadores. E pensar que a sala era a estrela da escola quando foi inaugurada há 20 anos.

”Foi realmente um diferencial, porque os pais ficaram muito entusiasmados: ‘Agora meus filhos vão ter aula de informática, vão aprender a utilizar o computador’”, diz a gestora de tecnologia, Celize Correia.

O laboratório de informática, vítima do próprio avanço da tecnologia, não está ficando ultrapassado? É que não faz o menor sentido ensinar para essas gerações que nasceram na era da internet a mexer no computador ou no tablet.

O que os estudos sugerem é que o que as crianças precisam aprender na escola é exatamente o que a pedagogia tradicional ensinava muito antes do computador aparecer. A leitura em uma roda de histórias, por exemplo.

O Brasil foi mal na prova da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Os alunos brasileiros tiveram dificuldade em navegar e interpretar textos na internet.

Entre 31 países, o país só ficou na frente dos Emirados Árabes e da Colômbia. E olha só: os países que lideraram o ranking têm menos estudantes usando computadores na escola do que a média dos países envolvidos na pesquisa. Ou seja, mais importante do que ter o computador, é saber usar.

“Se eu não consigo ler e interpretar, eu não vou conseguir encontrar a informação que eu preciso. Então a dificuldade do brasileiro está anterior ao uso da tecnologia. Está no domínio da linguagem, da língua portuguesa”, afirma Priscila Cruz, diretora-executiva do Movimento Todos pela Educação.

A biblioteca da escola de São Paulo estava cheia de criança. O Gustavo Pompeu, de oito anos, prefere os livros. “No livro você consegue imaginar mais coisas. No computador, você não consegue muitas coisas”, contou.

E o Henrique Demétrio da Silva, de seis anos, também prefere os livros.

Henrique Demétrio: Jogo é para se divertir, né.
Bom Dia Brasil: E o livro?
Henrique Demétrio: É para estudar.

A escolha pedagógica é usar a tecnologia como ferramenta. “A gente preparou uma receita, que era o nosso trabalho de inglês pelo tablet, tipo um livro, qual é o nome? Ah, livros digitais”, disse Tereza Carvalho Parente, de nove anos.

Mas essa não é a realidade da maioria das escolas no Brasil.

“Não dá para a gente imaginar, em pleno século XXI, a gente ainda tem crianças com oito nos de idade analfabetas, mais da metade. Então como a gente espera que essa criança navegue no mundo da internet se elas não sabem nem ler, nem escrever”, ressalta Priscila Cruz, do Todos pela Educação.

O Brasil tem quase 180 mil escolas de educação básica públicas e particulares. O Ministério da Educação disse que 104 mil delas têm computadores e acesso à internet. O MEC diz ainda que ajuda na produção de conteúdos digitais para ajudar no ensino.

FONTE: G1/Bom Dia Brasil

2 Comentários

  1. Kd a matéria da gerente do banco que foi presa por estelionato???? pq vcs não ventilaram essa matéria? tem algum motivo?? O povo quer saber!!!! e será pq o apresentador estava cabisbaixo hoje???

  2. A Globo fala sempre em crise do País e ver defeito em tudo, mas essa matéria, diz o que é a Globo.

    Auditora financeira revela que Rede Globo esta devendo mais de 3 bi e pode ir a falência.

    Segundo empresa de auditoria no ramo financeiro, dívida da Rede Globo ultrapassa os três bilhões de reais / Por Redação, texto por Romero*
    A astronômica dívida da Globo, segundo relatório da Price Waterhouse Coopers – Auditores Independentes, assinado por William J.N. Graham, no início de 2002 era de TRÊS BILHÕES, QUINHENTOS E OITENTA E TRÊS MILHÕES DE DÓLARES. Ou seja, mais de DEZ BILHÕES de reais. Onde as três maiores empresas devedoras são: Globopar, Globo Cabo, Net Sat, que representam cerca de 90% da dívida e onde aparece com destaque até a irresponsável e perdulária Editora Globo, de crônico e sistemático prejuízo, com cerca de 3% do total da dívida.
    A única empresa da Rede Globo que, com muita dificuldade, poderia fazer frente a esta fabulosa dívida, e que é lucrativa de verdade, é a TV Globo. Entretanto, nem a TV Globo, com seus seiscentos milhões de dólares anuais, pouco ou nada poderia fazer para salvar o Império Globo da falência. Pois se dos seiscentos milhões de dólares a TV Globo reservar 120 milhões por ano, cerca de 20% (vinte por cento), para amortizar principal e juros, levaria mais de trinta anos para amortizar a fantástica dívida que sufoca e mata a Globo aos poucos.
    Vale repetir, com recursos próprios é inimaginável a Globo saldar tão astronômica dívida. Só o governo, através do BNDES, Caixa Econômica, Banco do Brasil, Banco Central, fundos orçamentários e demais verbas públicas é que podem salvar a Globo da irremediável falência.
    Mas como a Globo chegou a este ponto? A Globo não é competente?
    Arrogância, burrice, arrogância, burrice, arrogância e administração ruinosa e irresponsável. Estes foram os fatores que levaram a Globo ao estado à beira da falência.
    Gênios incompetentes de plantão, cujo único predicado é a arrogância, imaginaram um golpe “formidável” de dominar o Brasil inteiro pelo sistema de transmissão a cabo, sufocando e solapando, assim, os demais meios de comunicação do país.
    Eu ri muito quando soube dos megalomaníacos planos da Globo, e disse que a Globo iria trabalhar com tecnologia ultrapassada (cabo) e que iria ficar com o cabo (?) preso no poste ao tentar cabear o Brasil inteiro nesta loucura que só um gênio incompetente, arrogante e irresponsável poderia imaginar.
    Não deu outra. Foi o maior fracasso da história da televisão no mundo. Até mesmo Bill Gates, que num primeiro momento cogitou participar do empreendimento faraônico, quando viu a loucura que a Globo estava se metendo estacionou em 3% a sua participação e deixou a Globo se esborrachar sozinha neste delírio de faraó tupiniquim.
    Encalacrada com uma fabulosa e irresponsável dívida para viabilizar o delírio do domínio do país e dos meios de comunicações pela tv a cabo, a Globo, correndo desesperadamente atrás de dinheiro, viu no BNDES a saída mais rápida e viável para a sua aflição. Mas como sempre com artifícios e ilegalidades, a começar pelo fato do BNDES não poder se relacionar com a Globo Cabo pois a legislação não permite associação do BNDES com empresa de telecomunicação. Mas ardilosamente, fraudulentamente, a Globo Cabo está registrada como empresa de tecnologia e não como empresa de telecomunicação, que de fato é.
    Choveram denúncias e mais denúncias contra a participação do BNDES na operação para salvar a Globo da falência, e em meio a uma seara desordenada de denúncias e oposições à questão BNDES, o jornalista Hélio Fernandes, em 14/03/2002, na Tribuna de Imprensa foi categórico: “Deveriam ouvir Roméro Machado, que publicou o imperdível “Afundação Roberto Marinho”. Ali está contada de forma irrespondível, a força que a Organização sempre teve na Justiça”. E, de fato, numa seqüência de denúncias sérias e fundamentadas foi colocado nos meios de comunicação a impossibilidade e a ilegalidade da associação Globo / BNDES. E com isso a operação salvação da Globo foi parcialmente abortada. Mas é bom manter os olhos permanentemente abertos, pois a Globo continua com uma dívida impagável e o governo (federal, principalmente) vive sempre debaixo de muitos escândalos. E numa dessas a Globo faz o que sempre fez… negocia favores de salvação do PT em troca de sua própria salvação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RADIO MIRANTE 870 AM


Ramyria Santiago

Publicidade

Publicidade

Visite-nos e compre no Paraíba!

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

FC OLIVEIRA

Publicidade
Visitas Online!
Arquivos