SAÚDE CAÓTICA – População de 120 mil habitantes só tem direito à 60 vagas/mês para fisioterapia

 

Fila de triagem para fisioterapia no CAM (29.07.2015)

A fila no CAM – Centro de Atendimento Médico – registrada era para uma triagem e define quem vai fazer exercícios em duas praças esportivas do município para se reabilitar após algum trauma ou quem vai para as sessões específicas  de fisioterapia.

Quem fica para a fisioterapia terá que encarar um disputadíssimo  serviço de saúde dentro de Codó.

Um das maiores dificuldades na prestação deste tipo de serviço é a quantidade. Para um mês inteiro são disponibilizadas apenas 60 vagas para sessões de fisioterapia.

SÓ 60 VAGAS PARA 120 MIL HABITANTES

Depois de 3 dias tentando vaga, na fila ainda para a triagem, seu Altemar Almeida,  finalmente conseguiu, claro, reclamando. Ele denunciou que houve uma diminuição da oferta mensal.

Três dias…POR QUE DEMORA TANTO, ASSIM? Ah, eu não sei, é porque era 100 vagas, aí baixaram pra 60, aí tem muita gente pra fazer…E O SENHOR QUE HORAS? Eu, desde antes de ontem que eu tÔ marcando a vez aqui”, denunciou o lavrador

Ouvindo a entrevista estava o diretor do CAM, Valdeck Frota, que não tirou a razão do denunciante e fez explicações adicionais.

“O usuário não tá sem a verdade, nós estamos dando 60, porém não é 60 porque tem as 20 do NASF, no caso seriam 80, porque esta do NASF nós não podemos tocar, elas são exclusivas do fisioterapeuta visita pessoas em casa e essa pessoa já recebe, automaticamente, essa fisioterapia através do NASF”, justificou

SITUAÇÃO CAÓTICA

Quando consegue, cada cidadão ganha 10 sessões de fisioterapia para aquele mês. Se as 60 vagas já estiverem preenchidas, ele terá que tentar no mês seguinte. Uma situação muito difícil.

“ Com certeza, né, porque os hospitais tudo cheio, em busca de tratamento de fisioterapeuta, muitas pessoas acidentadas…60 CONSULTAS POR MÊS? Eu acho pouca, eu acho pouca… POR QUE? …Por que, pra vir numa fila dessa, um bocado de gente, você vai consultar com um ortopedista aqui em Codó, fora os que vem de Teresina e outros lugares”, destacou, indignado, o mecânico industrial  Jurandir Oliveira

O diretor do centro disse que o teto do município – como se refere ao número de vagas para marcação de sessões de  fisioterapia – é baixo e não há previsão de aumento, sequer a longo prazo.

“Esse problema ele só vai deixar de existir quando o município de Codó, quando os políticos  de Codó entenderem  a necessidade que nós temos  de ter um aumento de fisioterapia, inicialmente, infelizmente um aumento que vem a nível de Governo Federal porque cada município tem o seu teto”, concluiu Valdeck

blog do Acélio.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RADIO MIRANTE 870 AM


Ramyria Santiago

Publicidade

Publicidade

Visite-nos e compre no Paraíba!

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

FC OLIVEIRA

Publicidade
Visitas Online!
Arquivos